Sulfetos e Sulfossais

  • Galena sobre luz natural. Foto: Hugo Xavier, Museu de Ciência e Técnica da Escola de Minas

    Galena sobre luz natural. Foto: Hugo Xavier, Museu de Ciência e Técnica da Escola de Minas

  • Galena sobre luz negra. Foto: Hugo Xavier, Museu de Ciência e Técnica da Escola de Minas

    Galena sobre luz negra. Foto: Hugo Xavier, Museu de Ciência e Técnica da Escola de Minas

Forma-se pelos sulfetos uma importante classe de minerais, pois nela incluem-se a maioria dos minerais-minérios. Sua fórmula geral é XmZn, na qual X representa o mineral metálico e Z não metálico. Normalmente, Z é preenchido pelo íon sulfeto (S-2) que são ligados com cátions (X). A grande maioria desses minerais são opacos com cores distintas e traços caracteristicamente coloridos. É difícil fazer generalizações sobre seus grupos estruturais semelhantes, portanto sua divisão em conjuntos isoestruturais é pequena.

Os sulfetos mais comuns são: pirita (FeS2); bornita (Cu5FeS4),calcopirita (CuFeS2) e calcocita (Cu2S), fontes de cobre; estibinita (Sb2S3), fonte de antimônio; esfarelita (ZnS), fonte de zinco; arsenopirita (FeAsS), fonte de arsênio; e galena (PbS) fonte de chumbo. 

Os sulfossais são um tipo de mineral de enxofre que não foi oxidado e é estruturalmente distinto de um sulfeto. Este é um grupo diversificado e grande de minerais. Eles geralmente ocorrem como minoria de minerais combinados com sulfetos mais comuns. Como exemplo, cita-se a bournonita (PbCuSbS3).