Magnetita

Amostra de magnetita com hábito octaédrico bem desenvolvido. Coleção e foto de Matteo Chinellato. Mindat.org.

Fonte:  Amostra de magnetita com hábito octaédrico bem desenvolvido. Coleção e foto de Matteo Chinellato. Mindat.org. 

ÓXIDO FÉRRICO FERROSO DO GRUPO DO ESPINÉLIO.

Fórmula: Fe2+Fe3+2 O4

Cristalografia: Sistema isométrico. Classe hexaoctaédrica.

Eixos cristalográficos. Museuhe.com.br.Índices de Millers. Museuhe.com.br.

Fonte: Eixos cristalográficos e Índices de Miller. Museuhe.com.br.

 

PROPRIEDADES FÍSICAS

Cor: preto acinzentado, preto e marrom.

Brilho: metálico, submetálico ou fosco.

Traço: preto.

Diafaneidade: opaco.

Tenacidade: quebradiço.

Dureza: 5,5 – 6,5 (Escala de Mohs).

Clivagem: ausente.

Fratura: irregular.

Partição: octaédrica. Muito boa em {111}

Hábito: maciço: granular (com granulação grossa e fina) comumente observada em rochas ígneas como os granitos ou em cristais indistinguíveis formando grandes massas. Forma agregados lamelares. Os cristais, em sua maioria, são octaédricos, às vezes, dodecaédricos. Geralmente estriados nas direções [011] ou [0̅11], raramente cúbicos. Pode ocorrer geminação de contato da face [111] com o plano de composição.

Magnetismo: Fortemente magnético devido à presença de dois cátions de ferro com momento magnético não compensados.

Solubilidade em H2SO4: Lentamente solúvel havendo formação de solução esverdeada ou amarelada.

 

PROPRIEDADES ÓPTICAS

Cor em lâmina: cinza, marrom e preto.

Pleocroísmo: não pleocróico.

Caráter óptico: isotrópico. 

Valores de índices de refração:  n = 2,420.

 

OCORRÊNCIA:  A magnetita é formada por processos magmáticos, metamórficos e hidrotermais podendo ser encontrada em rochas ígneas de todos os tipos, em gnaisses e xistos, meteoritos e também em pláceres e areias. É um mineral acessório comum de rochas ígneas e metamórficas, podendo tornar-se o principal constituinte de rochas altamente titaníferas. Depósitos de grande importância econômica podem ser formados por meio da segregação magmática ou por metamorfismo de contato. Os depósitos mais extensos ocorrem na forma de formações ferríferas bandadas sedimentares. Ocorre em rochas metamórficas cristalinas e em rochas de composição básica. Pode ser formado biogenicamente por organismos variados.  As associações mais comuns são com cromita, ilmenita, rutilo, olivina, piroxênio, apatita e silicatos de origem ígnea, podendo alterar-se para hematita, goethita/limonita e siderita em alguns casos mais raros.

 

USO: é um importante mineral-minério de ferro.

Agregado de cristais de magnetita. Foto de JSS. Mindat.org

Fonte: Agregado de cristais de magnetita. Foto de JSS. Mindat.org.

Cristal de magnetita em matriz de epidoto. Foto de Luis Verschuren. Mindat.org.

Fonte: Cristal de magnetita em matriz de epidoto. Foto de Luis Verschuren. Mindat.org.

 

 

Referências: 

MAGNETITE Mineral Data, 2021. Disponível em http://webmineral.com/data/Magnetite.shtml#.YNXZ9ehKjIU. Acesso em 25/06/2021.

MAGNETITA. 2021. Museu de Minerais, Minérios e Rochas Heinz Ebert. Unesp. Disponível em https://museuhe.com.br/mineral/magnetita-magnetite/. Acesso em 25/06/2021.

MAGNETITE, 2021. Hudson Institute of Mineralogy. Disponível em https://www.mindat.org/min-2538.html. Acesso em 25/06/2021.

MAGNETITA. 2021.Universidade de São Paulo. Disponível em https://didatico.igc.usp.br/minerais/oxidos-hidroxidos/magnetita/.  Acesso em 25/06/2021.