Espinélio

Cristais de espinélio intercrescidos. Foto de Oleg Opatkin. Mindat.org

Fonte: Cristais de espinélio intercrescidos. Foto de Oleg Opatkin. Mindat.org

ÓXIDO DO GRUPO DO ESPINÉLIO.

Fórmula: MgAl2O4.

Cristalografia: Sistema isométrico. Classe hexaoctaédrica.

Eixos cristalográficos. Museuhe.com.brÍndices de Millers. Museuhe.com.br.

Fonte: Eixos Cristalográficos e Índices de Miller. Museuhe.com.br.

 

PROPRIEDADES FÍSICAS

Cor: vermelho,azul, verde, marrom, incolor, laranja, violeta, amarelo e preto.

Brilho: vítreo, fosco, resinoso e graxo.

Traço: branco.

Diafaneidade: opaco, transparente e translúcido.

Tenacidade: quebradiço.

Dureza: 7,5 – 8 (Escala de Mohs).

Clivagem: ausente.

Fratura: superfícies planas fraturadas em padrão irregular, conchoidal e serrilhada.

Patição: na direção {111}.

Hábito: é normalmente encontrado em cristais euédricos octaédricos, apresentando boa forma externa, às vezes pode apresentar faces cúbicas e dodecaédricas. Em rochas ígneas, como o granito, é comumente observado na forma maciça granular. As geminações são geralmente do tipo simples ou múltipla e costumam ocorrer sobre a face {111}.

Solubilidade em H2SO4: lentamente solúvel.

Luminescência: às vezes são fluorescentes como as variedades vermelhas e lilás.

 

PROPRIEDADES ÓPTICAS 

Cor em lâmina: verde, verde oliva, ocre e incolor.

Pleocroísmo: não pleocróico.

Caráter óptico: isotrópico. 

Valores de índices de refração:  n = 1,719.

 

CARACTERÍSTICAS DIAGNÓSTICAS: Reconhecido pelos cristais octaédricos e brilho vítreo. O ferro-espinélio é diferenciado da magnetita pela ausência do magnetismo e também pelo traço branco.

 

OCORRÊNCIA: em rochas magmáticas costuma estar presente nas básicas a ultrabásicas, com baixo teor de sílica, como os basaltos, gabros, peridotitos e kimberlitos. Em rochas metamórficas está presente como mineral acessório de mármores de calcário e dolomita formados por metamorfismo de contato de alta temperatura, ocorre também em rochas metamórficas aluminosas. Pode aparecer como seixos rolados em areias de rios. Associado principalmente à forsterita, conderita, escapolita, flogopita, entre outros.

 

USO: usado como pigmento na indústria cerâmica. Uso gemológico. 

Cristais de espinélio apresentado geminação. Foto de Weinrich Minerals. Mindat.org.Cristal octaédrico de espinélio sobre calcita branca. Foto de Rob Lavinsky. Mindat.org.

Fonte: Imagem 1: Cristais de espinélio apresentado geminação. Foto de Weinrich Minerals. Mindat.org. / Imagem 2: Cristal octaédrico de espinélio sobre calcita branca. Foto de Rob Lavinsky. Mindat.org. 

 

 

Referências: 

SPINEL Mineral Data, 2021. Disponível em http://webmineral.com/data/Spinel.shtml#.YNYN3ehKjIU. Acesso em 25/06/2021.

ESPINÉLIO. 2021. Museu de Minerais, Minérios e Rochas Heinz Ebert. Unesp. Disponível em https://museuhe.com.br/mineral/espinelio-spinel/. Acesso em 25/06/2021.

SPINEL, 2021. Hudson Institute of Mineralogy. Disponível em https://www.mindat.org/min-3729.html. Acesso em 25/06/2021.